Prefeito de Americana lidera ranking do “mais honesto” da RMC

17/04/2018

 

 

Para cientista político, são pouquíssimos os que conseguem manter a imagem pública anterior ao mandato

 

Foto: Facebook do Prefeito Omar Najar

 

Se lhe perguntarem se o prefeito de sua cidade é muito honesto ou nada honesto, o que você responderia? Pois bem. Esta pergunta vem sendo feita pela Indsat, de três em três meses, desde o segundo trimestre de 2017, para 6 mil eleitores, sorteados aleatoriamente, das 15 maiores cidades da Região Metropolitana de Campinas.

 

Os resultados fazem parte do Relatório Exclusive e estão sendo liberados, em parte, pela primeira vez pela Indsat. No último levantamento, realizado no primeiro trimestre deste ano, o prefeito de Americana, Omar Najar (PMDB), destacou-se como o “político mais honesto” da RMC.

 

Para alcançar a liderança no ranking, o peemedebista precisou obter 633 pontos no critério Indsat de avaliação do “Perfil do Prefeito”, que analisa ainda as características de “Simpatia”, “inteligência” e “Proximidade com o Povo” dos chefes de Executivo da RMC, das 10 maiores cidades do Estado e das 12 maiores do Aglomerado Urbano Piracicaba.

 

Najar vem subindo gradativamente no ranking da honestidade da Indsat. Da quinta colocação no segundo trimestre de 2017, chegou ao topo neste início do ano.

 

Curiosamente, as três primeiras colocações são ocupadas por prefeitos filiados ao PMDB, partido do presidente Michel Temer, que segundo o grupo Eurasia, especializado em análise de risco para investidores, ostenta a maior rejeição do planeta, atrás inclusive de Nicolás Maduro, presidente da Venezuela.

 

Na opinião do jornalista e pesquisador Paulo Ricardo Gomes, diretor de Comunicação da Indsat, Omar Najar vai na contramão da imagem que o político brasileiro tem mantido junto ao seu eleitorado. “O poder naturalmente desgasta a imagem de qualquer político, principalmente de alguém como Najar, que vem de uma reeleição”, analisa ele. “Mas não é isso que vem acontecendo com o prefeito de Americana, que tem se consolidado nas cinco primeiras colocações deste que o levantamento se iniciou”.

 

Para o pesquisador, os políticos brasileiros, de modo geral, demonstram ter aprendido muito pouco com o ensinamento romano de que a “mulher de César, além de ser honesta, deve parecer honesta”. E é exatamente isto que mede a Indsat: a percepção popular a respeito do político.

 

“O prefeito Omar Najar tem conseguido transmitir essa imagem aos seus eleitores e, por essa razão, tem se destacado em nosso ranking. Isso fará a diferença nas próximas eleições”, destacou o jornalista.

 

Para fortalecer a sua tese, o jornalista cita uma pesquisa divulgada em janeiro pelo Brazil Institute do Wilson Center, e realizada pela Ideia Big Data com 5.003 pessoas em todo país. O estudo revela que a percepção da honestidade poderá ser fundamental na decisão do voto nas eleições deste ano. Ao todo, 72% dos eleitores escolheram temas relacionados à honestidade como prioridade na hora de votar em seus deputados e senadores.

 

“Já estamos medindo isso há um ano com 6 mil pessoas a cada trimestre. Estamos indo muito mais além do que aferir a satisfação das pessoas com os serviços públicos, estamos medindo o sentimento e percepções de toda a classe política”, revela ele.

 

Análise política

 

Para o cientista político Ademar Martins Ferreira, responsável pelo portal Novo Momento, de Americana, o binômio ‘político e honesto’ soa até estranho para a maioria da sociedade brasileira hoje. “E são pouquíssimos os políticos que conseguem manter a imagem pública anterior ao mandato, como no caso Najar”, relata Ferreira.

 

Em sua opinião, a honestidade é um elemento fundamental para distinguir dentro da classe política as pessoas que poderão contribuir para a construção de um novo país. “Há que se notar que o termo honesto é o valor básico, que separa, para o eleitor, as pessoas bem intencionadas das demais. Face à crise de legitimidade dos políticos e partidos, tem-se que a pessoa honesta fará um governo que não vai roubar. E assim surgirá dinheiro para se fazer serviços de melhor qualidade”.

 

 

 

Compartilhar
Compartilhar
Please reload

Em destaque

Câmara de Vinhedo tem 25% de ótimo e bom e 22% de ruim e péssimo

06/12/2019

1/10
Please reload

Recentes
Please reload

Arquivo