Câmara de Paulínia fecha 2017 como a pior da RMC

30/01/2018

 

 

Satisfação com setor analisado pela Indsat caiu duas vezes consecutivas e foi mal avaliado por 44% dos entrevistados

 

A Câmara Municipal de Paulínia encerrou 2017 na última colocação do ranking entre as 15 maiores cidades da Região Metropolitana de Campinas. Com 44% de reprovação, a cidade foi a única a receber Baixo Grau de Satisfação de acordo com a metodologia Indsat. A pesquisa foi realizada no 4º trimestre.

 

A última colocada está atrás de Campinas e Sumaré, cidades que se mantêm no final da lista geral desde o 2º trimestre de 2017. A Câmara de Paulínia obteve sua segunda queda consecutiva e obteve o menor índice já registrado pela metodologia da Indsat.

 

Do total de entrevistados, 44% consideram a Câmara como “regular”. Com os resultados obtidos, a pontuação total da Câmara de Paulínia foi de 480 pontos, 11 a menos que no 3º trimestre. No 2º trimestre de 2017, esse número chegou a 509 pontos.

 

Após duas quedas consecutivas no índice de satisfação, a expectativa para 2018 não são das melhores. Já no início do ano, o Ministério Público pediu o afastamento de 13 vereadores por um suposto envolvimento em esquemas de corrupção juntamente com o prefeito Dixon Carvalho (PP).

 

As demais cidades estudadas receberam Grau Médio de Satisfação. A líder do grupo Indaiatuba fechou o 4º trimestre com 619 pontos e 36% de aprovação. Artur Nogueira foi a última cidade a receber mais de 600 pontos.

 

Cosmópolis e Itatiba apresentaram evolução

 

Em comparação ao 3º trimestre, Cosmópolis subiu seis colocações no ranking. Nesse período, a cidade conquistou 17% de aprovação. No último levantamento do ano, as avaliações positivas chegaram a 29%.

 

Itatiba também demonstrou evolução no ranking. A cidade obteve 21 pontos a mais que no 3º trimestre e encerrou 2017 na 2ª posição, com 33% de “ótimo” e “bom”. O município era apenas o 6º colocado no levantamento anterior.

 

Cinco municípios caíram no ranking

 

Santa Bárbara d’Oeste e Campinas, no entanto, tiveram queda no ranking. A cidade barbarense era a 5ª colocada no 3º trimestre, mas fechou o ano na 8ª posição. Já Campinas passou da 9ª posição para a 13ª colocação no final de 2017. Monte Mor também registrou uma queda de duas posições. A 4ª colocada Jaguariúna era a vice-líder do ranking no 3º trimestre. Já a 5ª colocação é ocupada por Nova Odessa, que estava em 4º lugar no trimestre passado.

 

 

 

Compartilhar
Compartilhar
Please reload

Em destaque

Abastecimento de Água é o 2º melhor serviço avaliado em Limeira

30/06/2020

1/10
Please reload

Recentes
Please reload

Arquivo